Conheça os exercícios mais indicados para idosos, cardiopatas e obesos

Atividades devem ser adaptadas a cada perfil

Manter uma rotina de atividades físicas é umas das recomendações que mais auxiliam nossa saúde. No entanto, para alguns grupos de pessoas é preciso atenção e cuidado com o tipo de exercícios realizado. Indivíduos em condições específicas como obesidade, cardiopatia ou que já estejam na terceira idade devem adaptar o treino e a intensidade de acordo com suas limitações, orientações médicas e do educador físico.

A seguir, apresentamos uma lista com os tipos de atividades mais indicadas em cada uma destas situações.

Obesidade

Além do sobrepeso, a obesidade pode causar problemas cardiovasculares, diabetes e até lesões nas articulações. Para estas pessoas, o ideal é elaborar treinos focados em atividades aeróbicas que melhoram a função cardiorrespiratória e ainda queimam gordura.

Entre as opções, a bicicleta se destaca, pois promove alto gasto calórico, tonifica as pernas, aumenta a resistência cardiovascular e o condicionamento. Também é preciso realizar exercícios de musculação para melhorar a resistência física de forma geral.

SAIBA MAIS: O QUE ACONTECE QUANDO VOCÊ ELIMINA A GORDURA DO CORPO

Cardiopatia

A prática de exercícios é uma das principais orientações para quem sofreu infarto ou possui doenças cardiológicas. Nestes casos, o ideal é mesclar atividades aeróbicas e musculares para ampliar a força e a potência do coração, sempre com cuidado para que o esforço realizado seja gradual. A caminhada está no topo das recomendações, pois auxilia na elevação da capacidade cardiorrespiratória e oferece mais oxigênio ao organismo.

Terceira idade

Quem já chegou à terceira idade precisa manter uma vida ativa para não sofrer com falha nas articulações, perda de densidade óssea e da força muscular. A musculação é uma das principais aliadas para evitar que isso aconteça.

Além disso, tai chi chuan, dança e yoga permitem manter o senso do equilíbrio, de flexibilidade e de autonomia dos movimentos.

SAIBA MAIS: A IMPORTÂNCIA DE SE MANTER ATIVO AO LONGO DA VIDA

palco